logo site

Taboão da Serra

Vereadores votam orçamento com retirada de R$ 57 milhões na saúde e 0,5% de remanejamento para Aprígio

As duas votações do Orçamento Municipal de 2021 de Taboão da Serra ocorreram durante toda esta sexta, dia 8 de janeiro. Sete vereadores votaram favoráveis e cinco contrários. Aprígio terá 0,5% de remanejamento. O orçamento da cidade é de R$ 882.501.354,69.

 
Os vereadores apresentaram emenda que retira R$ 57.150 milhões da Saúde (atendimento emergencial em Pronto Socorro). Da limpeza, coleta, transporte e destino final R$ 27.750 milhões. Da manutenção e conservação de vias e logradouros R$ 8.625 milhões, entre outros valores. Esses valores foram colocados na reserva de contingência, aumentando a reserva para quase R$ 96 milhões.
 
Na prática, o uso da verba do fundo de contingência será permitido por meio de solicitações do executivo ao legislativo, dependendo então, da aprovação dos vereadores. 
 
Votaram favoráveis ao orçamento e a emenda Joice Silva (PTB), Érica Franquini (PSDB), Gallo (Republicanos), Marcos Paulo (PSDB), Sandro Ayres (PTB), Ronaldo Onishi (DC) e Nezito (Republicanos).
 
Contrários André Egydio (Podemos), enfermeiro Rodney (PSD), Anderson Nóbrega (MDB), Luzia Aprígio (Podemos) e Alex Bodinho (PL).
 
André Egydio afirmou que o prefeito fica engessado. "Por conta das emendas que vão prejudicar o governo e a população, votei contrário", justificou. Anderson pontuou que não concorda "com o bloqueio de valores da saúde, limpeza pública, da manutenção, mas não somos contrários ao Orçamento", avaliou.
 
Joice Silva, que votou favorável afirmou que a emenda não foi colocada por achismo. "Os valores estão guardados para a hora de necessidade. Queremos acompanhar e fiscalizar a utilização desses valores", frisou. Erica Franquini detalhou que os poderes são independentes e harmônicos. "Fui eleita para fiscalizar, ninguém está querendo prejudicar a cidade".
 
Demais emendas
 
Na emenda da retirada de R$ 57 milhões da Saúde, por exemplo, os vereadores Marcos Paulo, Carlinhos do Leme, Joice Silva, Érica Franquini e Ronaldo Onishi deixaram reservado R$ 13 milhões  para subsidiar a passagem do transporte público. 
 
Em outra emenda impositiva foram reservados R$ 2,5 milhão para o vale-transporte e vale-alimentação dos servidores públicos. 
 
Foto Leandro Barreira / divulgação. Texto atualizado às 13:28 do dia 9 de janeiro

© 2015-2020 Click Regional - Todos os direitos reservados. Site desenvolvido por OSN

logo site